Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

quarta-feira, 18 de junho de 2014

JUSTIÇA E SOCIEDADE





Segundo Aristóteles, a justiça consiste em atribuir a cada um aquilo que lhe cabe. Injustiça seria a apropriação indevida do que não é seu.
O maior problema para a prática da justiça seria encontrar um meio de se saber exatamente o que cabe a cada um. Aí as opiniões variam muito.
São três os critérios usados quando se pensa numa partição justa dos bens existentes. O primeiro é o da resolução das necessidades de todos.
O segundo critério usado para a divisão das riquezas seria o do merecimento: teriam mais direitos os que se esforçaram e produziram melhor.
O terceiro critério usado para que uns tenham mais direito a riquezas que outros seriam o talento: os melhores dotados teriam o merecido prêmio.
A resolução das necessidades básicas (saúde, alimentação, educação, moradia) é prioridade e projeto comum a todos os espíritos altruístas.
Seria injusto e impossível não contemplar os mais esforçados, produtivos e eficientes, assim como os que são dotados de talentos especiais.

Uma boa solução para o problema seria a constituição de uma sociedade capaz de contemplar os três critérios de justiça na devida proporção.