Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

segunda-feira, 10 de junho de 2013

REFLEXÃO









Nunca devemos nos esquecer de que o futuro não é nem totalmente nosso, nem totalmente não nosso, para não sermos obrigados a esperá-lo como se estivesse por vir com toda a certeza, nem nos desesperarmos como se não estivesse por vir jamais.
(EPICURO, 1997, p. 33).