Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

sábado, 3 de janeiro de 2015

INVEJA

 

A inveja dos homens mostra o quanto se sentem infelizes, e sua atenção constante às ações e omissões dos outros mostra o quanto se entediam.
Arthur Schopenhauer(1788-1860), filósofo alemão

A inveja é um sentimento humano quase inevitável. Apesar disso, é talvez aquele do qual mais as pessoas se envergonham e tratam de esconder.
A inveja tem a ver com a vaidade: prazer erótico que sentimos ao nos destacarmos, ao chamar a atenção e atrair os olhares dos que nos cercam.
Se estivermos diante de alguém que admiramos e que se destaca mais do que nós, a tendência é experimentarmos a dor que chamamos "humilhação".
Quando nos comparamos com outra pessoa e admiramos nela propriedades que chamam a atenção das pessoas e que gostaríamos possuir, a invejamos.
A inveja deriva da admiração: nos comparamos, nos sentimos por baixo, humilhados (ofendidos na vaidade) e desenvolvemos uma reação hostil.
Como invejar implica sentir-se por baixo, inferiorizado, quase sempre o invejoso evita manifestar claramente a intensidade do seu sentimento.

A regra é que a inveja se manifeste de forma sutil, sob a forma de alguma ironia ou brincadeira de mau gosto que deprecie o que é invejado.